> Edições Anteriores > Fracking, não! > MEMÓRIA ILUMINADA

Quinta, 23 de março de 2017

Nas águas de março de Van Gogh

Visionário, artista, emocional, louco e lúcido. Quem foi Van Gogh, codinome gênio, afinal?

Luciano Lopes - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Mesmo ignorado como artista na época, Van Gogh se tornou, após sua morte, uma das 
maiores influências da arte pós-impressionista do mundo - Imagem: Reprodução

Mesmo ignorado como artista na época, Van Gogh se tornou, após sua morte, uma das maiores influências da arte pós-impressionista do mundo - Imagem: Reprodução

Esqueça a orelha cortada, os romances fracassados e a loucura de Vincent Willem van Gogh. Vamos falar da arte deste grande gênio holandês do movimento pós-impressionista, nascido nas águas de março há 164 anos, e que via nas cores a força verdadeira da expressão de sua arte. “Uma boa imagem é equivalente a uma boa ação”, dizia ele.

Van Gogh foi filho de um pastor e cresceu em um ambiente religioso e culto. Não era autoconfiante e acreditava que tinha nascido para pregar o Evangelho, como o pai. Quando decidiu se tornar artista, já estava com mais de 20 anos. Estudou arte na The Yellow House, mas não teve sucesso na carreira enquanto esteve vivo. Acreditem, caros leitores, que ele vendeu apenas um quadro (“O Vinhedo Vermelho”) durante sua curta carreira.

Van Gogh era mantido pelo irmão, Theo, gerente de uma galeria de arte, para quem enviou cartas que anos depois foram compiladas em um livro. Um dos maiores artistas que já passou por este planeta, Van Gogh morreu pobre e desnutrido, aos 37 anos, por conta de ferimentos causados por uma tentativa de suicídio.

Na contramão de seus colegas contemporâneos Monet e Gauguin, o holandês optou por um estilo mais ousado e menos convencional, com cores intensas e vibrantes. Dramático e liricamente rítmico, o artista estava completamente mergulhado no esforço de explicar sua luta contra a loucura ou sua compreensão da essência espiritual do homem e da natureza.

O desenho “Tristeza” (1882) e os quadros “Girassóis” (1888) e “A Noite Estrelada” (1889) são um exemplo disso, assim como seus autorretratos.

A arte parecia ser um ponto de equilíbrio entre os ataques de epilepsia, ansiedade e depressão que assolaram Van Gogh. Chegou a fazer tratamentos em hospitais psiquiátricos, mas desistiu de lutar consigo mesmo: preferiu a liberdade do espírito. Sua vitória foi a influência e o legado artístico que deixou. E que a Ecológico rememora, na compilação de frases a seguir, deste grande gênio pós-impressionista:

Quadros de Van Gogh

 Autorretrato
“O que sou eu aos olhos da maioria das pessoas? Uma não entidade ou um homem excêntrico e desagradável – alguém que não tem e nunca terá posição na vida. Em suma, o menor dos menores. Muito bem, mesmo que isso fosse verdade, quero que o meu trabalho mostre o que vai ao coração de um homem excêntrico e desse joão-ninguém.”

 Expressão
“Passamos toda a nossa vida no exercício inconsciente da arte de expressar nossos pensamentos com a ajuda de palavras.”

 Humildade
“Após a experiência dos ataques repetidos, convém-me a humildade. Assim pois: paciência. Sofrer sem se queixar é a única lição que se deve aprender nesta vida.”

 Beleza
“Ache belo tudo o que puder. A maioria das pessoas não acha belo o suficiente.”

Quadros de Van Gogh

 Trabalho
“Sua profissão não é aquilo que traz para casa o seu salário. E sim aquilo que foi colocado na Terra para você fazer com tal paixão e tal intensidade que se torna chamamento espiritual.”

 Inspiração
“Não extinga sua inspiração e sua imaginação; não se torne o escravo do seu modelo.”

Quadros de Van Gogh

 Mar
“O coração do homem é muito parecido com o mar, ele tem suas tempestades, suas marés e suas profundezas; ele tem suas pérolas também.”

“Os pescadores sabem que o mar é perigoso e que a tempestade é terrível, mas eles nunca julgaram esses perigos como razão suficiente para se permanecer em terra.”  

 Consciência
“A consciência é a bússola de um homem.”

“Tudo o que é realmente bom e muito bonito, o interior, moral, espiritual e sublime beleza em homens e suas obras, vem de Deus. E tudo o que é mau nas obras dos homens não vem Dele.”

 Conhecimento
“Se nos aperfeiçoarmos em apenas uma coisa e a compreendemos bem, adquirimos além disso a compreensão e o conhecimento de muitas outras coisas.”

 Ser atrevido

“É melhor ser atrevido, mesmo cometendo mais erros, que ter a mente fechada e ser muito prudente.”

 Arte
“Pela arte, onde se tem necessidade de tempo, não seria nada mal viver mais de uma vida.”  

 Autojustiça
“O pior mal de todos os males é a autojustiça, erradicar em si mesmo um trabalho interminável de remoção de ervas daninhas.”  

 Doenças
“Pessimismo e melancolia são as doenças que mais afetam as pessoas enquanto trabalham.”   

 Ambição
“Se a infância e a juventude são apenas vaidade, não deve ser a nossa ambição nos tornarmos homens?”  

 Aventureiro
“Eu não sou aventureiro por escolha, mas pelo destino.”  

 Natureza
“Não é a linguagem dos pintores, mas a linguagem da natureza que se deve ouvir. O sentimento pelas coisas em si, pela realidade, é mais importante do que o sentimento pelas imagens.”

Quadros de Van Gogh

 Coragem
“Se você perdeu dinheiro, perdeu pouco. Se perdeu a honra, perdeu muito. Se perdeu a coragem, perdeu tudo.”

“Como seria a vida se não tivéssemos coragem de tentar coisas novas?”

 Amor
“Penso que não há nada mais artístico do que amar verdadeiramente as pessoas.”

“Amei muitas coisas porque é aí que mora a verdadeira força. Quem ama muito faz muito. Tudo o que é realizado com amor é bem feito.” 

 

 

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição