Segunda, 05 de junho de 2017

Azeitona-do-campo

Conheça a planta que auxilia no tratamento de inflamação dos rins e bexiga, reumatismo e até artrite

Marcos Guião - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Chenopodium ambrosioides - Imagem Marcos Guião

Chenopodium ambrosioides - Imagem Marcos Guião

Minha amizade com Chico da Mata já remonta de muitos anos e vez por outra a gente se separa por uns meses, mas quando se esbarra novamente, nem parece que demorou.

A prosa segue no natural, sem se dar conta do intervalo. Aqui já narrei uma vez que consegui arrancar Chico da Mata de seu rincão pra uma viagem de poucas horas até nossa casa na intenção de lhe apresentar as plantas que me arrodeam nos altos do Espinhaço. Naquela ocasião, seu maior encanto se deu com a Oliveira (Olea europaea) que cultivamos na intenção de um dia preparar nosso próprio azeite.

Depois dessa visita, a vida me enredou na faina de atividades muitas e durante meses fiquei sem correr os olhos na cabeleira agrisalhada e farta de meu amigo Chico. Afinal, chegou o dia e dei retorno lá no seu canto de mundo. Logo de cara, ele foi desfiando um rosário de lembranças e minúcias ocorridas durante nossa agradável viagem. Confesso que fiquei perplexo, tamanha a miudeza de recordações. E daí a chegarmos na Oliveira foi um tim. Mas ele num tardou a me intimar num jeito bem seu de desafio:

- Inhô zelô deu com cuidado inté no luxo naquelas andanção de carro lá na sua comunidade. Mas agora quero lhe ver amuntado naquele alazão folgado e gordo, pois vou lhe mostrar a azeitona de nosso Cerrado, belezura de pranta.

Diante de intimação comparativa tão convincente, gastei pouco tempo pra largar meus trem no quarto e rompemos pro quintal na buscação dos animais.

Quando dei por mim, já tava no passo, seguindo o balanço leve do animal e acompanhando Chico naquelas berada de mundo. Solto, ele contava caso, dava risada enquanto sua cara de lua cheia ficava atenta ao derredor na buscação da azeitona.

- Pois fique sabeno, seu Marcos, que essa pranta tem muita indicação nas doradas de rins, inté mermo quando é caso de pedra. Cê sabe que o cabra inté inverga de dor, né mermo? Pois as folhas da nossa Azeitona-do-Campo (Vitex taruma) dá um chá assim gostoso, bão de tumá. E daí a dissolver as pedras é um tim, um nadica. Mas tem de tomar muita água, pois é as águas que vão lavar os rim. Tendeu seu Marcos?

Fiz cara de assentimento e logo que passamos um colchete no final de uma manga, tinha um afloramento de pedras maiores e no pé de uma delas tava lá a azeitona carregada de frutos. Curioso, peguei alguns e comi. O gosto num é dos melhores, meio apertento, mas dá pro gasto. As folhas são aveludadas de coloração ferruginosa e o chá é realmente gostoso. Depois de coletar um bocado das folhas, voltamos pra casa a tempo de aproveitar um delicioso almoço preparado carinhosamente por dona Linda. Dei uma pesquisada e vi que ela também é indicada para inflamação dos rins e bexiga, é depurativo, cuida de reumatismo e até artrite. Bão, por hoje é só.

Inté a próxima lua! 

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição