Segunda, 11 de junho de 2018

Fique por dentro

Luciana Morais- redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
As geleiras constituem 2% da água do planeta

As geleiras constituem 2% da água do planeta

A dinâmica de formação de um iceberg é simples: as geleiras fluem do continente para o mar. Ao chegar à costa, ficam sujeitas ao movimento das ondas e das marés e o calor também pode derreter água, fragilizando o gelo. Tudo isso faz com que um iceberg se separe da geleira. Ou seja, icebergs são fragmentos de geleiras.

Mesmo enorme e pesado, o iceberg flutua porque a densidade do gelo é menor do que a da água no estado líquido que o cerca. Essa, aliás, é uma característica do gelo: sua densidade (ou seja, massa dividida pelo volume que ocupa) é menor do que a da água.

A flutuação do iceberg também pode ser explicada pelo Princípio de Arquimedes, segundo o qual um corpo imerso em líquido irá flutuar, afundar ou ficar neutro, de acordo com o peso do líquido deslocado por este mesmo corpo. Em outras palavras, significa que o peso de todo o líquido que um iceberg desloca é maior do que seu peso, fazendo com que ele flutue.

O tempo para um iceberg derreter ou evaporar completamente pode se estender por mais de décadas, dependendo da incidência dos raios solares, da temperatura da água e da dinâmica das correntes marítimas.

Você sabia?

Que icebergs podem apresentar camadas coloridas, em formato de estrias ou manchas? Isso ocorre quando as falhas no gelo são preenchidas por água, que se congela rapidamente sem formar bolhas. Quando a consolidação ocorre nas partes inferiores, onde há maior presença de algas, podem surgir manchas esverdeadas nos icebergs. Outras cores também podem ser agregadas a eles devido à ação de sedimentos carreados pela água.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição