Domingo, 30 de setembro de 2012

Econotas

Soluções sustentáveis

redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Arte: Ecológico

Arte: Ecológico

• Conflito ambiental

Até mesmo os conflitos entre judeus e palestinos na Faixa de Gaza geram problemas ambientais. Segundo o mais amplo relatório já feito pela Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o enclave, a faixa de Gaza não será mais habitável até 2020, caso não sejam tomadas medidas urgentes para melhorar o abastecimento de água e energia, a saúde e a educação. Em tempo: estão previstas a construção, ainda esse ano, de 20 ecoescolas com luz e energia de fontes solar e geotérmica. Concebidas pelo arquiteto italiano Mario Cucinella, também utilizarão a água da chuva para algumas finalidades, minimizando a dependência em áreas onde há mais escassez de água. A primeira escola verde será construída em Khan Younis, com financiamento do Fundo Kuwait para o Desenvolvimento Econômico Árabe. Um plano mais abrangente, incluindo a adoção de diretrizes verdes para a adaptação e construção de novas escolas, será desenvolvido após a finalização do projeto-piloto. O sistema surgiu de uma parceria entre a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados Palestinos (UNRWA) e a empresa de arquitetura de Cucinella.

 

• Horta sustentável

Utilizar espaços urbanos ociosos, incentivar a agricultura familiar e livre de agrotóxicos, proporcionar sustento próprio e até a venda de excedentes. Esses são os objetivos do projeto hortas comunitárias da prefeitura de Sete Lagoas em Minas, que há cerca de 30 anos atende grupos familiares. O trabalho que começou com 35 famílias, atende hoje 320 e está espalhado por sete unidades locais. Um desses espaços é uma área de servidão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). O espaço, que normalmente seria tomado por lixo ou invadido pelo mato, produz variados tipos de verduras e legumes. A prefeitura fornece o terreno arado, com o PH controlado e pronto para as hortas. Cada família, previamente cadastrada e que atenda um perfil socioeconômico, recebe um pedaço de terra que varia de 270 a 360 m². A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) oferece suporte especializado, e todos os alimentos produzidos são destinados ao consumo próprio, sendo o excedente comercializado pelos produtores.

 

• Garrafa verde

A Coca-Cola, uma das maiores empresas de bebidas do mundo, lançou no mercado a PlantBottle, uma garrafa PET feita com 30% de cana-de-açúcar e 70% de derivados do petróleo. Com a intenção de reduzir as emissões de CO2, a inovação da companhia pretende diminuir o impacto ambiental causado no processo de produção e pelo descarte do produto. A nova garrafa pode ser reciclada normalmente, mesmo tendo elementos orgânicos em sua composição.

Por enquanto, as garrafas sustentáveis só podem ser encontradas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Recife, Belo Horizonte e Porto Alegre, nas embalagens de 500 e 600 ml.

 

• Moda sustentável

A frase do cientista Antoine Lavoisier:  “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma” não poderia ser mais atual. Em tempos de consciência ecológica, nada deve ser desperdiçado, nem mesmo as mangueiras de apagar incêndio utilizadas pelos bombeiros, que quem diria, transformaram-se em bolsas. Por meio das mãos de designers talentosos, a marca ISSI desenvolveu produtos que utilizam como matéria-prima tecidos de paraquedas, estofados e assentos. O resultado são peças bonitas e sustentáveis. Saiba mais (em inglês)

www.fire-hose.co.uk/

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição