Terça, 03 de fevereiro de 2015

Pimentel otimista

O governador de Minas, Fernando Pimentel, conquistou o público presente à concorrida posse do presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior, como novo dirigente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas.

Hiram Firmino - redacao@revistaecologico.com



font_add font_delete printer
Fernando Pimentel, acompanhado de 
Olavo Machado: convicção transmitida. Credito: Wellington-Pedro - Imprensa MG

Fernando Pimentel, acompanhado de Olavo Machado: convicção transmitida. Credito: Wellington-Pedro - Imprensa MG

 

O governador de Minas, Fernando Pimentel, conquistou o público presente à concorrida posse do presidente da Fiemg, Olavo Machado Júnior, como novo dirigente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas. Citando uma lição de vida passada por um ministro chinês, de quem se tornou amigo enquanto esteve à frente da pasta de Desenvolvimento, Indústria e Comércio do governo Dilma, Pimentel enfatizou que o Brasil não tem problemas graves para resolver. Mas, sim, desafios de mesma dimensão. 

“Quem tem problemas, ele me ensinou, são países como a China, que não tem autossuficiência nem em alimentos nem em energia para atender à sua imensa população. E, com isso, depende da economia, parceria e apoio comercial de outros, e não de si mesmo” – enfatizou o governador. 
“Eu passei a ser otimista depois que ouvi isso. E ele está certo. A realidade do Brasil, com tantos recursos naturais e fontes de energia disponíveis, é diferente da realidade da China. Ela confirma uma série permanente de desafios que a nossa sociedade vem resolvendo ao longo de sua história política e econômica. É esse o sentimento que também me move agora, à frente do governo de Minas. E é com esse otimismo que convido a todos para resolvermos juntos tudo o que tiver de ser enfrentado” – concluiu Pimentel, com a mesma e aplaudida convicção. Convenceu.

LACERDA SUSTENTÁVEL

BH recebeu, no último dia 13, o Prêmio “Transporte Sustentável 2015”. Concedido pelo Instituto de Transporte e Desenvolvimento desde 2009, ele reconhece as experiências bem-sucedidas na área de mobilidade urbana, por meio de programas ousados e comprometidos com a melhoria do transporte público. Ou seja, avalia a segurança e o acesso de ciclistas e pedestres no espaço urbano e a redução da emissão de gases do efeito estufa.
A solenidade da premiação foi realizada durante a "Conferência do Conselho de Pesquisas em Transportes", em Washington (EUA), com a presença de 10 mil participantes de diversos países. Pela primeira vez, três cidades brasileiras receberam a condecoração. Além da capital mineira, homenageada pela implantação do BRT Move e das ciclovias, Rio de Janeiro e São Paulo também foram premiadas.
“Estamos implantando um novo modelo de políticas públicas de transportes no Brasil mais sustentáveis e mais inclusivas”, discursou Lacerda, que já recebeu vários outros prêmios internacionais na área, desde que incorporou a causa do “ambientalmente correto e socialmente justo” em sua administração.

 

O SEGUNDO TEMPO DE IZABELLA TEIXEIRA
O Palácio do Planalto confirmou, em plena lua cheia de janeiro, que Izabella Teixeira seguirá à frente do Ministério do Meio Ambiente, no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. Com perfil técnico e sem qualquer filiação partidária, Izabella passou a comandar a pasta ainda no Governo Lula, em abril de 2010, quando o então ministro Carlos Minc deixou o cargo para concorrer a deputado estadual do Rio de Janeiro. Natural de Brasília, Izabella, 53 anos, é formada em Biologia pela Universidade de Brasília (UnB), com mestrado em Planejamento Energético e doutorado em Planejamento Ambiental. Funcionária de carreira do Ibama desde 1984, após mudar-se para o Rio ocupou a Superintendência de Estudos Ambientais, foi coordenadora do Programa de Despoluição da Baía da Guanabara e subsecretária de Meio Ambiente no governo estadual. Em 2013, veio o reconhecimento internacional. Graças ao seu trabalho para reduzir o desmatamento da Amazônia, ela recebeu o “Prêmio Campeões da Terra”, na categoria "Liderança Política", entregue pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). 

Um ano antes, já havia sido nomeada pela ONU como integrante do “Painel de Alto Nível para a Agenda de Desenvolvimento das Nações Unidas pós-2015”, com base nos acordos alcançados na “Conferência Mundial Rio+20" e nos “Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”.
Continuar no MMA não era o que Izabella queria. Mas, militante e fiel escudeira de Dilma, ela não titubeou. Aceitou voltar à luta de sempre (leia mais sobre os desafios da ministra neste novo mandato na página 34). Ganhou a questão ambiental, que, como ela, é suprapartidária.
Resta saber se o novo ministro de Comunicação, Ricardo Berzoini, que acumula a Secretaria de Comunicação (Secom), irá ajudar o MMA, tradicionalmente com o pior dos orçamentos, a criar campanhas publicitárias de utilidade pública, incentivando os brasileiros a ajudarem Izabella na sua difícil tarefa e solitária missão reassumidas: preservar, na contramão de muitos de seus colegas de governo, a natureza. Mais: a  biodiversidade  cada dia mais ameaçada pelo processo de urbanização antiecológica de nossas cidades, onde 95% dos brasileiros viverão até 2030.

 

PRECON TRICAMPEÃ

Ainda repercute nacionalmente a mais recente conquista da Precon Engenharia, que foi agraciada com o Prêmio ECO pelo terceiro ano consecutivo. A cerimônia, promovida pela Câmara Americana de Comércio (Ancham-Brasil), ocorreu no apagar das luzes de 2014, em São Paulo, onde a empresa mineira foi congratulada em duas modalidades: “Estratégia, Liderança e Inovação” e “Práticas de Sustentabilidade”. Na última, o destaque maior ficou para o seu Sistema de Habitação (SHP), hoje um modelo para o país de gestão e construção de prédios mais rápida, barata e ambientalmente limpa, que descarta 80% menos recursos do que o método artesanal de juntar tijolo por tijolo com argamassa. “Estamos no caminho certo. A sustentabilidade, mais industrialização e inovação, constroem o nosso DNA”, comemorou Marcelo Miranda, CEO da Precon Engenharia. 

 

SION RECONHECIDO
Alexandre Sion entrou 2015 acumulando mais prêmios. Desta vez, como um dos melhores advogados do Brasil. O reconhecimento foi feito pela publicação norte-americana “The Best Lawyers International”, que avalia os profissionais líderes em seus segmentos. Com vivência jurídica em empreendimentos de mineração, energia, construção civil, óleo & gás, construção offshore, logística e siderurgia, ele acumula agora seis prêmios nos últimos três anos. Em 2012 e 2014, a Sion Advogados, sediada em BH, foi apontada pela publicação “Análise Advocacia 500” como um dos 15 escritórios jurídicos mais admirados do país na área ambiental.  Por dois anos consecutivos (2014 e 2015) foi agraciado com o “Chambers Latin American”, nas categorias “Advogados Notáveis” e “Líderes de Advocacia”, sem contar o “M&A Awards”, conquistado no ano passado, em que a Sion Advogados foi premiada como a “Banca do Ano em Fusões e Aquisições”.

 

AngloGold ECOLÓGICA
Apesar da crise, a mineradora AngloGold Ashanti virou o ano em festa: foi escolhida pelo “Guia Exame de Sustentabilidade” como uma das empresas mais sustentáveis do setor no país. Esse foi o  reconhecimento público mais recente da empresa, guiada pelo princípio da inovação, respeito ao meio ambiente e parcerias com as comunidades no seu entorno. Somente em 2013, ela investiu mais de R$ 27 milhões em projetos socioambientais. “São essas diretrizes que nos permitem realizar investimentos nessas comunidades de forma mais consistente e coordenada, para que elas também alcancem os seus objetivos de desenvolvimento” – festejou Hélcio Guerra, vice-presidente sênior Américas.
 

 

 

 

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição