> Notícias

Serra da Moeda ganhará, pelo quinto ano consecutivo, abraço no dia 21 de abril


font_add font_delete printer
Foto: Retrato3Estúdio/ Divulgação

Foto: Retrato3Estúdio/ Divulgação

19/04/2012 - Able Comunicação

 No próximo dia 21 de abril, às 10h, a Serra da Moeda, em Brumadinho, ganhará novamente um abraço a favor de sua preservação. Esta é a 5ª edição do movimento que nasceu em 2008 e que hoje se articula na ONG Abrace a Serra da Moeda. Os organizadores querem chamar a atenção para a urgência de proteção da montanha, seu patrimônio natural e cultural, hoje ameaçados com a expansão da atividade minerária. Grupos quilombolas e culturais da região, como os de Congado, Moçambique e Folia de Reis, se apresentarão no local e “puxarão” o abraço com o ritmo forte de seus tambores.

Como nos anos anteriores, a manifestação formará um imenso cordão humano ao longo da cumeeira da Serra, em direção ao alto da montanha, de onde é possível contemplar uma das mais surpreendentes paisagens cênicas da região, além de observar espécies raras da flora de canga, um tipo frágil de bioma. Durante o evento, haverá apresentação das bandas de música de Brumadinho e músicos da região, além da realização, após o abraço, da Feira do Vale, na descida da Serra, com gastronomia, produtos da roça e artesanato local.

A ONG Abrace a Serra da Moeda luta pela preservação da montanha e se opõe à exploração da mina da Serrinha pela empresa Ferrous Resources. Segundo análises técnicas, o projeto de exploração da empresa- cujo acesso foi conseguido pela ONG por meio de medida judicial, já que transcorria sob sigilo no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) ameaça as nascentes de água, as espécies de flora endêmicas e de fauna ameaçadas de extinção. O empreendimento põe em risco a sobrevivência de comunidades tradicionais que construíram há séculos sua história na região, hoje vislumbradas para receber instalações de alto impacto ambiental como bacia de rejeitos, pilha de estéril e usina de beneficiamento do minério.

Localizada a 30 quilômetros da capital mineira, a Serra da Moeda abriga uma biodiversidade raríssima, com mais de 50 nascentes que servem  de recarga hídrica para a Região Metropolitana de Belo Horizonte, além de espécies endêmicas da fauna e flora ameaçadas de extinção e um importante patrimônio histórico e cultural.

Como modo de proteger a montanha, suas águas e seu povo, a ONG Abrace a Serra da Moeda pleiteia a criação do Monumento Natural da Mãe D’Água, unidade de conservação do tipo integral, em 8 km na montanha, o que totaliza uma área de 500 hectares na Serra da Moeda.

Monumento Mãe D’Água

Em março deste ano, o projeto que prevê a criação do Monumento Natural da Mãe D’Água foi rejeitado pela Câmara Municipal de Brumadinho sob a alegação de inconstitucionalidade. De acordo com o parecer jurídico da Casa, o Monumento somente poderia ser criado a partir da proposição do Executivo e não do Legislativo.

“Essa decisão, contrária ao Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), faz com que o projeto não possa mais tramitar na Câmara de Brumadinho neste ano. Contudo, continuamos na luta para sensibilizar o poder público- municipal, estadual e federal- para a necessidade e viabilidade da instituição dessa unidade de conservação na Serra da Moeda”, diz Ana Amélia Lage Martins, diretora de comunicação da ONG.

“Trata-se de um evento em que reivindicamos dos nossos representantes políticos a proteção da biodiversidade da Serra da Moeda e, sobretudo a proteção de mais de 30 nascentes. Em tempos de preocupação com escassez da água, não podemos permitir o esgotamento dessas nascentes de água, que ocorre após o rebaixamento do lençol freático e na medida em que a cava da mina avança”, diz Beatriz Vignolo, presidente do Abrace a Serra da Moeda.

O Abrace a Serra da Moeda já é um marco na luta pela preservação das serras de Minas Gerais. O movimento conta com diferentes comunidades como as quilombolas Marinhos, Sapé, Ribeiro, Colégio; povoados da zona rural de Brumadinho; condomínios horizontais; ambientalistas, associações locais e esportistas. No ano passado, o protesto reuniu cerca de seis mil pessoas. Este ano, a organização do evento espera receber aproximadamente 10 mil participantes.

Foto: Retrato3Estúdio/ Divulgação


Compartilhe




Outras Notícias