> Notícias

Brasil apresenta proposta de Fundo Azul na ONU


font_add font_delete printer
Fundo Azul do Brasil busca ampliar o desenvolvimento sustentável e a conservação da biodiversidade marinha

Fundo Azul do Brasil busca ampliar o desenvolvimento sustentável e a conservação da biodiversidade marinha

08/06/2017

Hoje, 08, data em que é comemorado o Dia Mundial dos Oceanos, o Embaixador Permanente do Brasil junto a ONU, Mauro Vieira, e representantes do Ministério do Meio Ambiente e do ICMBio apresentarão a proposta do Fundo Azul, durante a Conferência sobre Oceanos 2017, realizada pela ONU, em Nova Iorque (EUA).

O Fundo Azul do Brasil busca ampliar o desenvolvimento sustentável e a conservação da biodiversidade marinha em áreas protegidas brasileiras. A meta é garantir que ao menos 10% das áreas jurisdicionais costeira-marinhas tenham proteção eficaz.

O país pretende construir a proposta este ano e estabelecer parceiras, para que a projeto seja colocada em prática já em 2018. Os recursos serão captados de diversas fontes, como orçamento público, compensação ambiental, cooperação internacional, geração de receita, filantropia nacional e internacional. A ideia é construir alianças fundamentais, com interesses sociais e econômicos.

Entre os objetivos do Fundo Azul, destacam-se a criação e o manejo de unidades de conservação marinhas e costeiras, a proteção de áreas de reprodução de berçários, a promoção de ações de voluntariado e a valorização do uso sustentável da biodiversidade pelas comunidades locais e tradicionais.

Conferência

A Conferência sobre Oceanos 2017 tem como tema “Nossos Oceanos, Nosso Futuro: Parcerias para a Implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14”.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – cujo conceito foi aprovado na Conferência Rio+20 – foram lançados em 2015 e englobam metas por um mundo melhor a serem alcançadas por todos os países até 2030.

Ao todo, são 17 ODS que abordam desde a Erradicação da Pobreza até o Fortalecimento de Parcerias Globais, passando por temas mais ecológicos e ambientais, como a proteção da vida na terra e na água e o combate às mudanças climáticas.


Compartilhe