> Notícias

Cia de Dança Palácio das Artes apresenta Nuvens de Barro


font_add font_delete printer
Cia de Dança Palácio das Artes mergulha no universo lírico e brejeiro do Poeta do Pantanal - Foto: Fundação Clóvis Salgado

Cia de Dança Palácio das Artes mergulha no universo lírico e brejeiro do Poeta do Pantanal - Foto: Fundação Clóvis Salgado

12/06/2017

Inspirada na obra do poeta Manoel de Barros, a Cia de Dança Palácio das Artes leva ao palco do Grande Teatro o espetáculo Nuvens de Barro, na próxima terça-feira, 20, na edição especial do Dança ao Meio-dia.   

Com direção coreográfica de Fernando Martins e direção cênica de Joaquim Elias, o espetáculo mergulha no universo lírico e brejeiro do Poeta do Pantanal para descobrir, inventar e reinventar a delicadeza, a simplicidade e o realismo fantástico, características marcantes nos versos de um dos maiores representantes do período pós-moderno da literatura brasileira.

Em conformidade com o universo de Manoel de Barros, no espetáculo coisas se humanizam e pessoas se coisificam. Desse processo, surge uma coreografia inventiva e inventada, em que os bailarinos ora transformam-se em peixes dançarinos, ora em pedras que se tornam pássaros; que se tornam homens. Elementos cênicos como maçãs e plantas ganham vida e se transformam em novos objetos – ou corpos –, que também interagem com os bailarinos.

Cia de Dança Palácio das Artes

Corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado, a Cia de Dança Palácio das Artes é reconhecida como uma das mais importantes companhias do Brasil e é uma das referências na história da dança em Minas Gerais. O Grupo desenvolve hoje um repertório próprio de dança contemporânea, com produções operísticas e espetáculos cênico-musicais realizados pela Instituição ou em parceria com artistas brasileiros.

Dança ao Meio-dia | Nuvens de Barro

Dia 20/06, terça-feira, ao meio-dia
Grande Teatro do Palácio das Artes, Av. Afonso Pena, 1.537, Centro
Classificação livre
Entrada franca
Informações: (31) 3236-7400

Fonte: Fundação Clóvis Salgado

 

Leia a reportagem especial da Revista Ecológico sobre Manoel de Barros

 


Compartilhe